Ferramentas de Trabalho Colaborativo utilizando BCF – BIM Collaboration Format

Num dos primeiros posts desse blog, falamos sobre BCF, falando da sua origem, as tipologias de trabalho e o funcionamento do fluxo.
Agora nesse post, trago uma demonstração da interoperabilidade do formato BCF, entre 3 softwares, que são: Solibri, Navisworks e Tekla BIMsight. Na qual foram elaborados diversos testes, verificando a interoperabilidade do formato BCF no fluxo de troca de informações, identificando-se as informações que foram enviadas pelo software de origem e as informações recebidas pelo software receptor. Apresentando resultados através de tabelas e relatórios dos softwares testados, mostrando as informações perdidas no processo de interoperabilidade.

Resultados

 

O método usado na pesquisa consistiu em uma simulação de elaboração de relatórios nos softwares de origem (Solibri, Navisworks e Tekla BIMsight) e exportação para o formato .bcf e importação nos softwares receptores para validar a interoperabilidade dos dados.

Durante a criação dos relatórios foi desenvolvido uma tabela marcando S para sim, quando o software possibilitava incluir as informações e N para não, quando o software não possibilitava a inclusão das informações no relatório, tanto no software de Origem como no software receptor como demonstra as Tabelas 1, 2, 3 e 4.

001

Na Tabela 1 apresenta as informações que foram possíveis inserir em cada Software. Dos 3 softwares o Tekla BIMsight não foi possível incluir os campos “prioridade” e “assinado para” e o Solibri não foi possível incluir o campo de “Prioridade”, dos quais são itens não obrigatórios.

Na Figura 1 é demonstrado o Relatório criado no Software Solibri. Como pode se observar de todos os campos pesquisados apenas o de prioridade não foi possível incluir, e outros campos como a localização, ID do tópico e componentes são incluídos no relatório. Ainda na exportação do relatório é possível salvar o BCF na versão 1.0 e 2.0, e também em outros formatos como pdf e xlsx para leitura em outros softwares.

 

Figura 1 – Relatório BCF Solibri

002

Para o relatório no software Navisworks foi possível incluir todos os campos como mostra a Figura 2. Este software não possui um exportador direto, para realização deste tipo de relatório, nessa pesquisa foi utilizado o aplicativo BCF Manager da empresa BIM Collab, que é utilizado para comunicação através do BCF-Server da empresa.

 

Figura 2 –  Relatório BCF Navisworks

003

Como comentado anteriormente o relatório do Tekla Bimsight foi o único em que não foi possível assinalar a quais projetistas o relatório está sendo direcionado, e o nível de prioridade do relatório, o restante das informações foi possível incluir sem nenhum problema como demonstra a Figura 3.

 

Figura 3 – Relatório BCF Tekla BIMsight

004

Após o desenvolvimento dos relatórios, os mesmos foram exportados para o formato .bcf, e no qual em cada um dos softwares foram importados os relatórios BCF gerados, e identificados as informações lidas por cada um dos relatórios, como demonstram as Tabelas 2, 3 e 4.

005

Como Visto na Tabela 2, temos os relatórios do Solibri e Navisworks sendo importados no Tekla BIMsight, como demonstra a Figura 4, os Tópicos de “prioridade” e “assinado para” não foram lidos na importação. Durante os testes não foi o objetivo verificar a seleção de objetos IFC durante o relatório, nota-se que o Tekla BIMsight identificou objetos na importação e na seleção da imagem para direcionamento da perspectiva apresentando apenas os objetos que ele identificou como selecionados, deixando vários objetos ocultos na vista 3D.

 

Figure 4 – Relatório Solibri e Navisworks Importado no Tekla BIMsight

006

 

Na tabela 3 temos os relatórios do Tekla BIMsight e do Solibri importados no software Navisworks.

 

007

 

A Figura 5 apresenta temos os relatórios importados para o Navisworks, no primeiro relatório temos o BCF do Tekla BIMsight, que teve problemas com a descrição foi localizada no campo de comentário, algumas imagens geradas no relatório não foram encontradas após a importação e a perspectiva direcionada mostrou itens a mais do que foram gerados no relatório de origem.

No segundo relatório temos o BCF do Solibri, pôr no qual não foi encontrado apenas o campo de descrição que da mesma forma que no relatório do Tekla BIMsight foi encontrado em comentários. Acredita-se que seja um erro de leitura por parte do aplicativo BCF Manager da BIM Collab.

 

Figure 5 – Relatório Solibri e Navisworks Importado no Tekla BIMsight

008

Na tabela 4 temos os relatórios do Tekla BIMsight e do Navisworks importados no software Solibri.

009

 

Na Figura 6 temos os relatórios importados para o Solibri, no primeiro relatório temos o BCF do Tekla BIMsight, que no caso teve problemas com a descrição que foi localizada no campo de comentário, algumas imagens geradas no relatório não foram encontradas após a importação e a perspectiva direcionada não mostrou nenhum componente dos arquivos IFC.

No segundo relatório temos o BCF do Navisworks, que onde não foi encontrado apenas o campo de prioridade que o próprio Solibri não possui.

Figure 6 – Relatório Tekla BIMsight e Navisworks Importado no Solibri

010

 

Conclusões

 

A Interoperabilidade de dados é algo que vem sendo muito discutido quando se trada de BIM, principalmente quando se discute o conceito Open BIM, que sugere a troca direta no formato IFC entre os projetistas. Com os resultados obtidos nessa pesquisa, percebe-se que a interoperabilidade na troca de informações é algo a ser muito discutido.

A análise nos três softwares demonstrou que o aplicativo BCF Manager utilizado para a exportação e importação no software Navisworks é muito poderoso, tendo apenas um problema na leitura da descrição dos tópicos. Esse mesmo aplicativo é oferecido para outros softwares, como Revit, Archicad, Tekla Structure e o próprio Solibri que foi utilizado nessa pesquisa. Sobre o Solibri, ele também demonstrou ser um ótimo exportador e importador, tendo apenas um problema de leitura do BCF do Tekla BIMsight no campo de descrição dos tópicos e não sendo possível identificar a prioridade do relatório, que no caso não é um item obrigatório. Já o Tekla BIMsight demonstrou que não é confiável quando se trata de exportar e importar as informações para outros softwares, tendo vários problemas principalmente com as perspectivas onde foram encontradas diversas falhas de itens faltantes ou a mais do que deveriam conter.

Sabe-se, contudo, que existem muitos outros testes a serem feitos a respeito de importação e exportação de arquivos BCF. Os softwares testados são apenas os principais que são utilizados para a compatibilização, planejamento e a verificação de regras de modelos BIM, mas há diversos softwares de projeto que suportam o formato e também poderiam ser testados os retornos dos relatórios para o software de origem, uma vez que o relatório foi respondido e exportado pelo software receptor.

De todo modo concluo que o método de testes apresentado é válido, pois contribui para a tomada de decisão de quais softwares utilizar quando o processo de relatório Colaborativo for uma opção da empresa na melhoria do fluxo de trabalho BIM.

2 comentários sobre “Ferramentas de Trabalho Colaborativo utilizando BCF – BIM Collaboration Format

    1. Obrigado Ricardo, ainda tenho mais alguns pontos para evoluir nessa pesquisa, assim que tiver mais resultados volto a publicar aqui novamente.
      E sim, o formato ainda é muito promissor, eu apenas avaliei os principais itens que a buildingSMART defini, tem muitos itens que os softwares e aplicativos ainda nem estão considerando.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s