O real uso do “I” do BIM

bim (1)

Cada dia mais o conceito BIM vem sendo difundido e absorvido pelos profissionais e empresas do ramo da construção civil.

O que nos preocupa, de certa maneira, é a forma como este conceito tem sido assimilado. Podemos até dizer que na maioria dos casos o BIM está sendo subutilizado.

Quando não é interpretado apenas como um software, que já é uma falha grave, pois, BIM é uma metodologia que integra diversos e não apenas um software; ele é entendido como um modelo 3D que facilita a compatibilização e extração de quantitativos de materiais. Continuar lendo

O que é o LOD de um modelo BIM?

Level of Development (LOD) = Nível de Desenvolvimento (ND)

No conceito BIM, o modelo é construído num espaço virtual, compartilhado entre vários profissionais, e é desenvolvido através de informações gráficas e não gráficas, vinculadas com precisão e claramente estruturadas.

Ao iniciarem os projetos na metodologia BIM, é necessário que seja identificado o objetivo para com o modelo, pois isto irá definir o nível de definição dos dados que irão alimentá-los. Tais níveis se diferem pelas quantidades de dados que estarão disponíveis em cada fase do projeto. E é muito importante que todos os envolvidos estejam cientes desta necessidade, pois estes níveis definirão o produto final. É a partir destas informações que se obterá um projeto detalhado e, bem resolvido entre todas as disciplinas, além do que estas informações serão utilizadas para análises do modelo até mesmo com relação a planejamento, orçamento e manutenção da construção. Continuar lendo

buildingSMART – OPEN BIM – IFC

BIM não é apenas uma modelagem 3D de projetos, existem diversos fatores que determinam e influenciam em um modelo BIM. Um destes fatores a serem observados é a Interoperabilidade.

Interoperabilidade é uma necessidade de trocas de informações, pois nenhuma aplicação pode suportar sozinha todas as tarefas de um projeto e produção de uma construção. (Eastman et al., 2008)

De uma maneira mais simples pode-se dizer que “interoperabilidade é a capacidade de um software de se comunicar de forma transparente com outro software” (Manzione, 2014, p.13) Continuar lendo

Mas por que pagar por uma consultoria BIM?

Essa tem se tornado uma pergunta recorrente nos dias de hoje.

Toda vez que se deseja implantar um método novo, vale a pena consultar um especialista. Isto torna muito mais assertivas as estratégicas, independente do assunto a ser abordado.

Qual a real necessidade de se contratar uma consultoria para implantação, tendo em vista que existem diversos vídeos no youtube falando sobre BIM, informações disponíveis na internet e mesmo diversos cursinhos de softwares (com quantidades de horas variáveis)?

Qual a diferença? Continuar lendo

Extração de Quantitativo de materiais elaborado no Revit

Introdução

Quando o objetivo do modelo está além do projeto, no qual pretende-se usá-lo para extração de quantitativo e  orçamentação, não basta apenas instalar o software na máquina e sair projetando. É necessário que sejam considerados alguns critérios na hora de projetar, que devem ser pensados conforme execução para que sejam modelados, como por exemplo: aberturas de paredes, altura do reboco interno/externo, elementos estruturais, entre outros.

Este artigo irá tratar apenas de uma pequena parte do processo, a modelagem de paredes. Percebe-se que apesar de se tratar de uma parte pontual do processo de modelagem, existe uma complexidade quando analisamos detalhadamente. Continuar lendo

Quero implantar o BIM na minha empresa! E agora?

Então já está entendido: BIM é o caminho!

Ok? Quer aderir o conceito. Mas, e agora?

Instalar um software e aprender a usar?

Fazer um cursinho para aprender mais rápido? Continuar lendo

BCF – BIM Collaboration Format

O BCF é um formato de arquivo criado para comunicação entre diversos softwares BIM. Esta comunicação acontece através de uma ferramenta conhecida como BCF-Server.

História BCF

A versão 1 do BCFxml foi desenvolvida pela Solibri e Tekla em 2010. Com o tempo foi sugerido para que os outros desenvolvedores também trabalhassem com esse formato, dentro de um padrão aberto (Open BIM).

No ano de 2014 a buildingSMART assumiu o desenvolvimento do padrão de trabalho, na qual passou para a versão 2 do BCFxml e outros desenvolvedores, como DDS e Nemetschek passaram a adotar esse padrão de comunicação em seus softwares.

Ainda em 2014 a buildingSMART liberou os parâmetros para o BCFapi, possibilitando  assim serviços na Web para o BCF e a criação de aplicativos para darem suporte aos softwares dos desenvolvedores, que não desenvolveram sua própria programação em BCFxml.

E em julho de 2016 a buildingSMART soltou uma nota informando que está desenvolvendo os parâmetros para o BCF 2.1, fazendo algumas melhorias neste padrão. Continuar lendo